moodle  Office 365  GIAE  youtube  youtube  youtube  facebook  instagram  20 aula digital  escola virtual

Comemorou-se, a 15 de abril, o Dia Mundial das Artes, dia escolhido por ser a data de nascimento do génio Leonardo Da Vinci. Aproveitando esta simbólica efeméride, a Escola Adolfo Portela anunciou que passou a integrar a rede nacional de escolas aderentes ao Plano Nacional das Artes (PNA), cujo projeto está em preparação e será desenvolvido no próximo ano letivo de 2021-2022.

O Plano Nacional das Artes (PNA) foi desenvolvido pelas áreas governativas da Cultura e da Educação e tem como objetivo tornar as artes mais acessíveis aos cidadãos, em particular às crianças e aos jovens, através da comunidade educativa, promovendo a participação, fruição e criação cultural, numa lógica de inclusão e aprendizagem ao longo da vida. Pretende, ainda, incentivar o compromisso cultural das comunidades e organizações e desenvolver redes de colaboração e parcerias com entidades públicas e privadas, designadamente, trabalhando em articulação com os planos, programas e redes preexistentes.

A este propósito, Regina Gaspar, docente e coordenadora do Plano Nacional das Artes na ESAP, referiu que “a Escola Adolfo Portela assumiu, desde sempre, o compromisso de se envolver no desenvolvimento de projetos em prol da comunidade educativa, sendo a Escola o espaço privilegiado para o desenvolvimento de competências relevantes na formação integral e humanista de jovens e adultos”. Neste sentido, “quando surgiu a possibilidade de integrar o PNA, a ESAP reviu-se totalmente no objetivo de tornar as artes mais acessíveis a todos os nossos alunos, proporcionando-lhes a energia agregadora e mobilizadora do poder das artes e do património, para que, assim, possam desenvolver as suas competências, de forma transversal ao currículo”, concluiu.

Refira-se que a Escola Adolfo Portela já estabeleceu contactos com o Centro de Artes de Águeda (CAA) para a concretização do seu projeto, pois, como referiu Leonardo Da Vinci “a arte diz o indizível, exprime o inexprimível e traduz o intraduzível”.

Go to top